Exposição Bizantina abre 17/3

A beleza dos mosaicos de pedras semipreciosas brasileiras, feitos por religiosos gregos

De 17 a 31 de março, Embu das Artes apresenta uma exposição diferenciada, tanto pelos autores dos trabalhos quanto pelo material utilizado. As peças de mosaico que integram a mostra foram produzidas por religiosos, inspirados em mosaicos dos séculos 10 a 15 e feitos com pedras semipreciosas brasileiras.

“Ao chegar ao Brasil e querendo divulgar a milenar arte bizantina, percebi a riqueza do subsolo brasileiro em pedras semipreciosas. Formei uma equipe, com religiosos que tinham o dom da arte plástica, para produzir ícones bizantinos de mosaicos com essas pedras, em corte capuchon. Esses mosaicos são réplicas dos séculos 10, 11, 15 e têm, pela variedade das cores, as verdadeiras tonalidades bizantinas nas pedras brasileiras – ametista, rubi, esmeralda, topázio imperial, ágata, lápis-lazúli, cristais e outras” –, diz dom Athanasios I, arcebispo primaz do Brasil e América Latina, presidente mundial da Igreja Ortodoxa Grega da Diáspora, com sede no Bom Retiro, em São Paulo, SP.

O mosaico era utilizado pelos gregos antes da era cristã para ornamentar pisos de palácios e templos, com temas da natureza e mitologia. A Igreja Ortodoxa Grega o utiliza em sua vida litúrgica para representar os santos. Essa intimidade com o mosaico levou o arcebispo a desenvolver com sua equipe o mosaico com pedras semipreciosas.

“No passado, o material usado para fazer os mosaicos eram pastilhas de azulejos de diversos tamanhos e cores. Em alguns casos, usavam pastilhas de ouro ou prata”, explica dom Athanasios I. No mundo religioso, há outros mosaicos famosos, como os da Catedral de Santa Sofia, em Constantinopla, de Ravena, na Itália, no monastério São Lucas, em Thivas, na Grécia, no monastério de Dafni, em Atenas, e muitos outros. Além dos temas bizantinos eclesiásticos, são produzidos outros, como natureza morta, paisagens, pássaros, etc.

Homenagem ao artesão

“Com muito prazer, apresento em nome da minha Arquidiocese Grega da Diáspora no Brasil no Dia do Artesão, com a valiosa colaboração da Prefeitura de Embu das Artes, através da Secxretaria Municipal de Cultura, este trabalho único no mundo e que representa a união de dois povos”, finaliza o arcebispo.

A exposição ficará no Centro Cultural Mestre Assis de Embu das Artes (Largo 21 de Abril, 29) até 31/3 e poderá ser visitada todos os dias, das 9 às 17h. Abertura no dia 17/3, 19h.

Elke Lopes Muniz
9/3/2012

Fonte: Catálogo das Artes

Posts Relacionados:

Com as tags: , , , , , , |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *