Cores intensas e formas orgânicas de Gaetano Pesce

 

Pesce é conhecido por seus objetos de cores intensas, formas orgânicas e materiais inusitados. Como arquiteto, propõe uma integração total entre o indivíduo, construção e ambiente, valorizando o lado prático sem esquecer o aspecto emocional. O Italiano de La Spezia tem escritório em Nova Iorque, mas suas criações estão espalhadas pelo mundo e seus trabalhos integram coleções permanentes do MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova Iorque); do Musee des Arts Decoratifs e no Centro George Pompidou, de Paris; do Design Museum, de Londres; do Moka, de Los Angeles; da Trienalle di Milão; e do CCA, de Montreal.

“Gaetano cria os materiais com que trabalha. A arquitetura e o design dele extrapolam a forma e o conforto. Ele faz o anti-design. Seus trabalhos expressam pontos de vista filosóficos, existenciais, políticos, surpreendendo e inovando sempre”, observa a produtora Consuelo Cornelsen.
Desde os anos 70, Gaetano Pesce acredita que a arquitetura e o design devem ser uma representação da realidade e um documento dos tempos. “Tudo nele é inusitado, irreverente, ousado e magnífico. Diante de suas criações ninguém fica impassível. Ele consegue fazer a mágica de ser único”, completa Consuelo.

Sobre Gaetano Pesce Nascido em 1939 em la Spezia, Gaetano Pesce é considerado um dos mais versáteis e não-convencionais designers da última metade do século e tem expandido noções e estruturas do Novo Design Italiano durante toda a sua carreira. Depois de estudar arquitetura e desenho industrial em Veneza no início da década de 60, passou a produzir trabalhos em pintura, escultura, filme, teatro, design e arquitetura, além de ser um dos fundadores do Grupo N, grupo de artistas envolvidos na arte emergente do movimento Bauhaus.

Em 1967, deixou a Itália para uma década de viagens pelo mundo. Paris, Japão e Nova Iorque fizeram parte do roteiro. A partir do lançamento das poltronas UP, em 1969, seu trabalho ficou conhecido como “idiossincrático”. A série, composta por sete cadeiras para diferentes usos (para crianças, adultos e casais), tinha design orgânico e apelo simples e confortável. A grande sacada, porém, estava no material usado: espuma de poliuretano, comprimidas a vácuo e envolvidas em envelopes de PVC. Quando esses envelopes eram “abertos”, as cadeiras expandiam-se para um tamanho normal.

Outras peças de destaque da autoria de Pesce são a cadeira e o pufe Sit Down, inspiradas no trabalho do escultor pop art americano Claes Oldenburg. O sofá New York Sunrise, de 1980, é uma representação direta do sol e horizonte, também em espuma de poliuretano. Além de movelaria, o profissional também trabalha com luminárias, como a Moloch, Luxo e Airport. Ele define seu trabalho como “objetos que apresentam tendência ou potencial para significado”. Suas peças foram produzidas por alguns dos maiores nomes internacionais do design, como a B & B Italy, Knoll, Cassina e VITRA.

Fonte: Paran@shop

Posts Relacionados:

Com as tags: , , , , , |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *