CCBB Inaugura a exposição Mestres do Renascimento neste sábado

Conhecer um pouco da Itália e de seu rico acervo artístico, sem deixar o Brasil, e de forma gratuita. Esta é a proposta da exposição Mestres do Renascimento: Obras-Primas Italianas, aberta neste sábado (13) na sede do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em São Paulo. A mostra traça um panorama do Renascimento, um dos principais movimentos artísticos da história da humanidade.


Mestres do Renascimento começa neste sábado (13) no CCBB-SP / imagem: divulgação

Até 23 de setembro, poderão ser vistas 57 obras de artistas como Rafael, Ticiano, Leonardo da Vinci, Michelangelo e Tintoretto, entre outros. São pinturas, esculturas e desenhos dos mais importantes mestres do movimento, que marcou os séculos 15 e 16, principalmente na Itália. A exposição abrange o período compreendido entre 1420 e 1540.

O Renascimento é um movimento caracterizado pela volta à arte clássica, focado nos princípios de valorização da natureza e do racionalismo. A arte do período é marcada pelos ideais de perfeição, naturalismo, simetria e harmonia e por uma grande influência de temas religiosos.

“A exposição é inédita e traz, pela primeira vez à América Latina, um acervo que é considerado patrimônio mundial. É um acervo composto por obras provenientes de cerca de 30 instituições italianas”, disse o gerente-geral do CCBB em São Paulo, Marcos Mantoan, em entrevista à Agência Brasil. As obras expostas, em sua maioria, são consideradas ícones e nunca tinham saído da Itália.

A-Batalha-de-Lepanto-1573-de-Paolo-Veronese1

Os curadores são a historiadora de arte Cristina Acidini e o estudioso do Renascimento Alessandro Delpriori. A mostra é dividida em seis núcleos – a ideia é mostrar como o Renascimento se manifestou em seis regiões italianas, explicou Mantoan. A primeira é a região de Florença, tema dos trabalhos expostos no quarto andar, entre eles, o Cristo Benedicente (Cristo Abençoando, de Rafael). O terceiro andar é dedicado a Roma. Já o segundo andar está dividido em quatro espaços: Urbino, Milão, Ferrara e Veneza. Segundo Mantoan, a exposição tem também o objetivo de mostrar como o movimento se manifestou nessas regiões da Itália.

O CCBB espera que a mostra sobre o Renascimento atraia ainda mais gente que a do Impressionismo, realizada no ano passado, com as pessoas enfrentando filas de até quatro horas para ver as obras. “A exposição sobre o Impressionismo foi um precedente extremamente importante, por tudo o que conseguimos oferecer à sociedade brasileira. Recebemos, naquele período, 325 mil pessoas em dois meses, o que deu uma média diária de 6 mil pessoas no CCBB. Agora, a expectativa está em torno de 350 mil pessoas”, disse Mantoan.

Para receber todo esse público, o CCBB aumentou o número de funcionários e lançou a primeira edição da Virada Renascentista, com o complexo aberto das 15h de hoje até as 21h de amanhã (14), informou o gerente da instituição, que não descartou a formação de filas para a exposição. “Vamos tentar minimizar o impacto das filas, mas com certeza, alguma fila o público vai enfrentar.”

Depois de São Paulo, a exposição seguirá para Brasília, onde ficará de 12 de outubro a 6 de janeiro do próximo ano. Mais informações podem ser obtidas no site do CCBB.

Fonte: Vermelho

 

 

Posts Relacionados:

Com as tags: , , , , , , , |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *